Quanto mais alto subir, menos oxigénio a atmosfera contém. Por exemplo, no cume da montanha mais alta do mundo, o Monte Evereste (8850 m), o teor de oxigénio é apenas um terço do ao nível do mar. Grande parte dos montanhistas que escalam picos acima dos 7000 metros precisam assim de respirar oxigénio puro de uma garrafa. Sem ele, a sua respiração e os seus batimentos cardíacos aumentam e produzem mais glóbulos vermelhos para transportar o oxigénio.